terça-feira, 19 de setembro de 2017

Mulheres da Biblia: Priscila

Priscila uma mulher que não se prendia ao que possuía, mas queria dividir com todos. Fazia de sua casa um local de trabalho, hospitalidade e ministério. Priscila era esposa de Áquila, e foi uma das primeiras divulgadoras do Evangelho em Roma. Ao lado do marido, Áquila, seguiu de perto os passos do Apóstolo Paulo.Formavam um casal considerado exemplar, por fazerem todas as coisas juntos e em harmonia Atos 18:1. O casal era amigo de Paulo de Tarso e faziam cultos em sua casa. Os dois são elogiados na Bíblia por mostrarem excelentes obras cristãs e hospitalidade, não só para com as pessoas em geral, mas também para com a comunidade cristã onde moravam, por realizarem as reuniões cristãs em sua casa, tanto em Roma como em Éfeso. Foram expulsos de Roma devido ao decreto do imperador romano Cláudio por volta do ano 49 ou 50. Mudaram-se para Corinto (Grécia). Paulo morou ali com eles por cerca de 18 meses, sendo que todos trabalhavam fabricando tendas. Viajaram com Paulo até Éfeso, permanecendo ali por algum tempo. Retornaram a Roma por certo tempo (Romanos 16:3-5) e, mais tarde, viajaram de volta a Éfeso. O contacto pessoal com Paulo estendeu-se desde cerca de 50 até à morte do apóstolo uns 15 anos depois. Menciona-se que, durante tal associação, eles arriscaram sua própria vida, pela vida de Paulo.O texto de Romanos 16:3-5 fala-nos sobre o relacionamento de Paulo com Priscila e Áquila. “Saudai a Priscila e a Áquila, meus cooperadores em Cristo Jesus, os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as Igrejas dos gentios. Saudai também a Igreja que está em sua casa. Saudai a Epêneto, meu amado, que é as primícias da Acaia em Cristo.”
Significado do nome Priscila: antiga,arcaica,do passado velha Actos 18:2.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Regresso ás Aulas

As férias terminaram! Mais um ano lectivo chegou. Chegou a rotina de preparar mochila ao final do dia, ver se está tudo em ordem para o dia seguinte, o levantar cedo para despachar e tomar pequeno-almoço e lá seguir para mais um dia de aulas. A casa fica mais vazia , mais silenciosa,fica um misto de alegria por ver que o filhote está a ficar grande , já finalista do terceiro ciclo, e ao mesmo tempo da´uma nostalgia e saudade de quando eram pequeninos. Mas penso , agora posso dedicar mais um pouco tempo para mim, voltar a escrever mais , por leitura em dia, e tentar não olhar tanto para o relógio esperando o regresso dos meus amores.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Mulheres da Biblia: Lia

Lia - filha mais velha e feiosa de Labão - foi, provavelmente, obrigada pelo pai a casar-se com Jacó, enganando-a e fazendo com que ele (Jacó) a rejeitasse por toda a sua vida. Lia era uma mulher linda de coração mas não tinha nenhuma beleza exterior. A Bíblia nos diz que ela tinha os olhos baços e, além de tudo isso, o seu nome significava "fraqueza".
A história dela é marcada pela falta de consideração, de amor, de apreço. Seu pai a usou para ter mais dinheiro. Ao se casar, tinha um marido que não a amava. Depois, sua irmã casou-se com seu esposo e o amor dele era maior por ela (Gênesis 29:30). O desprezo era tanto, que Deus teve compaixão de Lia e a fez mãe antes de Raquel (Gênesis 29:31).
Essa é a prova de que Deus sabia do sofrimento de Lia e a colocou em posição de vantagem em relação a Raquel. O Senhor se mostrou no controle de todas as coisas ao conceder filhos a Lia, e deixou claro que, mesmo que Jacó não a amasse, Ele a amava, cuidava e ajudava a passar pelos sofrimentos.
Ao final da semana, aquilo que poderia ser um sonho se torna um pesadelo. Labão concede Raquel como esposa de Jacó. Agora não apenas foi rejeitada e tratada como mercadoria. Lia teve de amargar testemunhar a preferência clara de Jacó pela sua irmã e rival àquela altura. vendo o Senhor que Lia era desprezada, a abençoou com o privilégio de ser mãe. Ela engravidou, ao passo que Raquel, sua irmã e rival, não podia ter filhos. Lia em princípio reconheceu a providência divina ao dizer que o Senhor a havia atendido em sua aflição (Rúben, o nome do primeiro filho, significa “veja, um filho”). No entanto, logo em seguida, revela a verdade da idolatria de seu coração: “Por isso, agora me amará meu marido” (v. 32). Esse era o real objetivo dela. Sua motivação girava em torno do marido e do desejo de se satisfazer com sua atenção e carinho. O coração dela não era do Senhor, mas de Jacó! Ainda assim, o Senhor concedeu a ela o privilégio do segundo filho. Ela menciona o Senhor em sua declaração, mas ainda assim revela a persistente idolatria do coração: “Soube o Senhor que era preterida e me deu mais este; chamou-lhe, pois, Simeão” (v. 33 – Simeão significa “aquele que ouve”). A referência a sua preterição é uma referência ao fato de que sua esperança de satisfação em Jacó ainda não havia sido concretizada. O Senhor lhe deu ainda um terceiro filho, e sua idolatria por Jacó persistia declaradamente: “Agora, desta vez, se unirá mais a mim meu marido, porque dei à luz três filhos; por isso, lhe chamou Levi” (v. 34 – Levi significa “unido”). Foi somente na quarta gravidez que parece que Lia entendeu que sua motivação de vida não podia ser o marido. Então, quando ela enfim fica grávida daquele que é o precursor do Messias, Judá (“ele será louvado”), ela enfim prorrompe em louvor sincero a quem deveria ter sido amado e desejado mais que todas as coisas desde o início: “Esta vez louvarei ao Senhor” (v. 35). Os versículos 9-13 de Gênesis 30 mostram Lia perdendo completamente a compostura oferecendo sua serva Zilpa a Jacó para ter filhos através dela. Ao primeiro chamou Gade (“boa sorte”) e ao segundo Aser (“feliz”), como se sua satisfação estivesse mesmo em ter filhos como estratégia para conseguir o que julgava ser a única fonte de satisfação. Depois disso, Rúben achou mandrágoras no campo e as entregou a Lia. As mandrágoras eram consideradas ervas afrodisíacas que promoviam a fertilidade. Assim podemos ver tanto as raízes pagãs de Lia como de Raquel, ao atribuírem às mandrágoras uma importância que realmente não tinham. O fato é que Raquel cobiçou as mandrágoras. Lia revelou mais uma vez que Jacó era seu ídolo do coração lamentando que Raquel já havia levado seu marido e que não era justo que agora, além disso, ainda quisesse levar as mandrágoras. Mas a proposta de Raquel pareceu irresistível: as mandrágoras por uma noite de Jacó com Lia. Agora a mercadoria é o próprio Jacó. Ainda assim, Deus a abençoou com mais um filho. O texto nos permite contemplar a luta de Lia quando ela demonstra ter sido um erro o ter dado sua serva a Jacó. Lia se quebrantou diante do Senhor e reconheceu o favor divino atribuindo à sua bondosa providência mais dois filhos: Issacar (“recompensa”) e Zebulom (“honra” ou “dote”). No entanto, continua esperando que os seis filhos lhe tragam a preferência do marido.
Depois de anos de rivalidade, vemos, enfim, que Lia parece ter superado sua idolatria por algumas razões. Em Gênesis 31.14-16, tanto ela como Raquel parecem estar unidas no mesmo propósito. Isso é sinal de que sua idolatria, razão da rivalidade, havia sido superada. Lia foi honrada em sua morte, pois foi sepultada no mesmo local em que haviam sido sepultados Abraão, Sara, Isaque e Rebeca. O próprio Jacó pediu a José que o sepultasse lá junto a ela quando ele morresse.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Mulheres da Biblia: Joquebede

Joquebede era casada com Anrão e eles viviam como escravos no Egito. Dessa união, nasceram Arão, Moisés e Miriam. (Êxodo 6:20 / 1 Crônicas 6:3) Como os israelitas viviam como escravos no Egito e eles estavam se multiplicando muito, o rei do Egito temeu que eles se juntassem com os seus adversários para se rebelarem contra o Egito e por precaução decidiu que todos os meninos hebreus recém-nascidos deveriam ser mortos. Justamente nessa época Joquebede deu a luz a Moisés e ficou com medo de matarem seu filho e por isso escondeu o seu lindo bebê durante três meses (Êxodo 2:2). Porém, ela não poderia continuar escondendo seu filho por muito tempo, então buscou uma alternativa para livrar seu filho da morte.
Joquebede então pegou um cesto de junco, calafetou-o com com betume e piche, colocou seu filho Moisés dentro do cesto e lançou o cesto no rio. Miriam, sua filha, acompanhou o cesto de longe para saber o que aconteceria com seu irmãozinho. No momento, a filha de Faraó foi banhar-se no rio, o cesto chegou até ela e a princesa vendo o bebê que chorava dentro do cesto, o adotou.
Miriam, a irmã de Moisés, havia ficado observando o que aconteceria ao irmão ao ser colocado nas margens do rio, e quando percebeu que a filha de faraó tinha pegado o menino ela se aproximou e se ofereceu para buscar uma ama entre as hebreias que pudesse criar Moisés.
Então Miriam foi buscar Joquebede, e ela acabou sendo contratada para criar o próprio filho como ama até que ele crescesse (Êx 2:10)
Joquebede: hebraico, Jeová é glória.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

"Teu amor não falha" - por Loide Miriam Santos

Mulheres da Biblia: Joana

Joana era “esposa de Cuza, encarregado da casa de Herodes”. Pode ser que Cuza tenha sido o administrador dos assuntos domésticos de Herodes Antipas. Joana era uma das várias mulheres que Jesus curou. Junto com outras mulheres, Joana viajava com Jesus e seus apóstolos. — Luc. 8:1-3.
O nome dessa mulher aparece poucas vezes na Bíblia. Nos capítulos 8 e 24 do evangelho de Lucas. Mas as atitudes e o auxílio que ela prestou foram muito importantes. Joana foi uma das mulheres que ajudaram a manter o ministério, o trabalho de Jesus, dando assistência com os recursos financeiros que tinha.
Joana correu o risco de perder o conforto e o luxo que tinha para servir a Jesus. Ela poderia ter passado a vida toda envolvida com os privilégios que a riqueza proporciona, mas ao invés disso ela se mostrou disposta a trocar a mansão terrena pela mansão celestial que Jesus nos promete. Ela teve a oportunidade de estar entre os últimos que acompanharam a morte de Cristo na cruz e entre os primeiros que viram o túmulo vazio e proclamaram a ressurreição de Jesus. Joana é uma mulher de fé: ela aparece na história como uma mulher rica e importante que expressou seu amor por Jesus servindo-o humildemente.
Joana: femenino de joão, Joanã : hebraico- Jeová tem sido gracioso.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Mulheres da Biblia: Jeoseba

Jeoseba era filha do rei, casada com o sumo-sacerdote e mulher de coração sensível ao Senhor. Filha de Jorão ou Jeorão, irmã ou meia-irmã de Acazias. Salvou a vida de Joás (2Re 11:2) quando Atalia procurou eliminar toda a descendência real. Seu casamento com Joiada (2Re 22:11) é o único exemplo registrado de uma união entre uma princesa da casa real com um sumo-sacerdote.
Quando Atalia, a rainha dos ímpios deJudá, ordenou um massacre da Família Real, Jeoseba salvou Joás, seu sobrinho, filho de Acazias, livrando-o da morte (2Reis 11:1,2,3 e 2Crônicas 22: 10,11,12). Joás era um bebê, e estava escondido na Casa do Senhor por seis anos,(2Reis 11:3), antes de ser coroado rei pelo Sacerdote Joiada (2Reis 11:4).Jeoseba era meia-irmã do rei Acazias, que foi morto na batalha por Jeú (2Crônicas 22:7 a 9). Esta atitude de coragem e ousadia de Jeoseba preservou a Linhagem de David, da qual o Messias havia de nascer.
Jeoseba significa "O Senhor é o seu Juramento"